Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2009

Pessoas

Pessoas chegam e saem de nossas vidas de diversas formas.Algumas chegam e passam um certo tempo conosco. Com elas compartilhamos e, após irem embora, nos deixam lições que jamais serão esquecidas. Amadurecemos.Algumas nos veem nascer, ou nascem na mesma época. Com elas crescemos, e quando vão embora, é como se se estivessem rompendo com o nosso passado. Uma nova fase da vida é iniciada.Algumas chegam depois, cá se acomodam, e então permanecem para sempre. São os vínculos que teremos na velhice.Algumas chegam só para subtrair, e quando partem, é um alívio. Mas jamais é em vão. Aprendemos com isso.Há casos de pessoas que conhecemos de vista há muito tempo, mas que somente anos mais tarde se tornam relevantes para nós.Há casos de pessoas que após conviverem conosco, vão embora, depois retornam anos mais tarde, fazendo tudo voltar à tona.Também há casos daquelas que retornam, mas encontram um ambiente completamente diferente do anterior. Não é a mesma coisa. Elas não são as mesmas, ou nós…
Eu sei que diminuí muito a frequência de postagem. Culpa da minha falta de tempo somada a um pouco de falta de ideias. Mas garanto que fonte de inspiração não falta. Tanta coisa acontecendo, cabeça a mil... fica até difícil escrever algo conciso. Por isso me limito por enquanto à poucas palavras. Até a próxima! :)

Forró e abobrinhas

Certa vez eu disse num post que eu adorava forró. Mais precisamente o xote, que nada mais é do que um forró mais sensual e romântico, daqueles para dançar agarradinho, curtindo sua paixãozinha e (para os mais assanhados) melando a cueca com impunidade.Pois bem. Eu compartilho esse gosto pelo ritmo nordestino com mais dois amigos da faculdade, o Carlos e o Pedro. Ambos descobriram que o Cuble Democráticos, situado na boêmia Lapa (RJ), possui uma noite de forró todas quartas-feiras. Eles foram a primeira vez sem mim. Na segunda vez, eu e mais uma amiga nossa da faculdade, a Camilla, fomos juntos com eles, na semana do feriadão. E salve Tiradentes e São Jorge!O lugar ferve, literalmente. É um tal de gente se esfregando no bate-coxa, suando e se agarrando a noite toda. Para os mais fresquinhos, é a visão do inferno. Mas eu gostei, apesar de ter tocado somente forró pé-de-serra (lembre-se que eu gosto mais de xote).E lá estou eu... dançando sozinho, gingando, todo feliz... quando me aparec…